O diagnóstico precoce do Alzheimer

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Atualmente a medicina tem avançado cada dia mais com a ajuda da tecnologia. O diagnóstico por imagem é um exemplo desse avanço tecnológico que tem aumentado a identificação de diferentes problemas por meio de exames.  O Alzheimer é uma doença agressiva mas silenciosa, seu diagnostico precisa se precoce para não haver problemas no futuro.  O diagnóstico é uma maneira de verificar as causas de determinados sintomas clínicos por meio de exames em que mostram a situação do paciente. Para que haja um bom diagnostico os aparelhos precisam garantir a veracidade do resultado do exame como a qualidade do equipamento.

Quem não tem sintoma de Alzheimer, mas busca ajuda médica por causa de uma alteração leve de memória, além do exame clínico, deve contar com os biomarcadores para chegar a um diagnóstico correto e descartar outras doenças. Os marcadores biológicos ou biomarcadores são necessários para diagnosticar o Alzheimer na fase prodrômica, em que as pessoas não apresentam nenhum problema, ou também para não confundir os sintomas iniciais da doença com manifestações do próprio envelhecimento.

O diagnóstico de Alzheimer baseava-se até por volta de 2010 em uma avaliação clínica para constatar se o paciente possuía os sintomas compatíveis com a doença e, sobretudo, se apresentava um quadro de demência ou comprometimento cognitivo prejudicial para sua autonomia. Além isso, o diagnóstico definitivo da doença de Alzheimer é confirmado através de biópsia do tecido cerebral, sendo por isso raramente realizado. Análises de sangue e exames de imagens (tomografia computadorizada, ressonância magnética) auxiliam no despiste de outras causas de demência, mas não são capazes de estabelecer o diagnóstico de doença de Alzheimer.

Está em busca de uma clínica de diagnostico? Entre em contato conosco!


Deixe seu Comentário.



Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×